Plano de saúde como estratégia para retenção de talentos

Para enfrentar um mercado cada vez mais competitivo e especializado, as empresas investem na retenção de seus talentos. Além da capacitação constante, um bom ambiente de trabalho e a possibilidade de ascensão na carreira, a oferta de benefícios é um dos fatores que faz com que o trabalhador avalie cautelosamente antes de mudar de emprego.


Segundo um levantamento do Glassdoor, o plano de saúde empresarial é visto como benefício mais importante oferecido por uma empresa. Subsídios como vale alimentação, vale refeição, transporte e participação nos lucros são os outros itens apontados como vantajosos.


Já a assistência à saúde traz aos trabalhadores a tranquilidade de saber que sua família está bem assistida em uma eventual emergência. Isso se faz ainda mais importante por sabermos das dificuldades em relação à utilização do SUS, sistema que muitas vezes é a única alternativa. Além dos atendimentos de urgência, o segurado do plano de saúde passa a ser acompanhado mais de perto, tendo a possibilidade de realizar consultas, exames e cirurgias necessárias para o seu bem-estar e de sua família.


Entretanto, não é apenas o colaborador que se beneficia com o plano de saúde. As empresas, além de contar com um funcionário mais motivado e com a saúde em dia, podem observar a diminuição de faltas no trabalho e ter um melhor controle dos atestados médicos – um dos maiores problemas quando se fala em saúde do trabalhador.


Pode-se dizer que esse benefício já está consolidado no mundo corporativo. O que tem mudado é a forma como o plano de saúde é oferecido. A implementação da coparticipação é a maneira encontrada por muitas empresas em meio ao aumento dos custos. Nesse sistema, o usuário paga uma parte de consultas e exames. Uma das vantagens é o uso dos serviços com mais responsabilidade. Isso é necessário em razão da maior sinistralidade – que é o aumento da ocorrência de consultas, exames e procedimentos. Essa, por sua vez, é causada pela facilitação do acesso à informação, pela elevação da expectativa de vida e pela oferta de novas tecnologias na área da saúde. Para se ter noção, a inflação na área da saúde nos últimos cinco anos registrou um acumulado de 108% contra 42% da inflação geral, por conta disso, muitas vezes se torna inviável a manutenção dos planos de saúde pelas empresas. Então, para continuidade desse benefício, a coparticipação é a alternativa mais razoável.


Caso sua empresa precise rever seu custo de assistência médica, entre em contato com a Mathene.

4 visualizações0 comentário